FLACIDEZ DA PELE…

…O QUE PODEMOS FAZER A RESPEITO!

TEXTO POR DR. RODRIGO GIMENEZ – CRM 76719

“Todo homem deseja viver por muito tempo, mas nenhum homem gostaria de ser velho” (J. Swift).

Como todos os órgãos, a pele também envelhece. Por ser ela um marcador da idade sem concessões, e porque aumenta a expectativa de vida, a pele se torna o objeto de todos os nossos cuidados para retardar seu envelhecimento. Neste processo a camada mais superficial da pele, a epiderme, já não é tão eficaz como barreira protetora e a derme, mais profunda, perde a capacidade de repor colágeno e fibras elásticas, elementos fundamentais à perfeita estruturação da pele. A flacidez é causada então por esta falta de sustentação observada com o passar dos anos, sendo queixa frequente nos consultórios dos cirurgiões plásticos e dermatologistas. A partir dos 25 anos de idade as fibras colágenas passam a ser degradadas em velocidade maior do que são produzidas. Estas passam a diminuir não só em quantidade mas também a qualidade se torna diferente, mostrando indícios de alterações associadas ao envelhecimento. O que muitas pessoas não sabem é que a flacidez pode ser sim evitada, ao menos em parte e discutiremos isso a seguir.

Para podermos combater a indesejada flacidez temos que saber suas causas e algumas das mais importantes são o fator genético, hormonal (carência de estrógenos), a falta de exercícios físicos, alimentação inadequada com pouca proteína, baixa ingesta líquida, exposição solar excessiva, oscilações expressivas de peso ou cirurgias para perda de peso (bariátrica) e a ação da gravidade, que pode ser potencializada com a realização de exercícios físicos que envolvam impacto, quando realizados de forma profissional. Outro fator importante é o tabagismo, sabe-se que a nicotina tem um efeito vasoconstritor levando à diminuição da oxigenação da pele.

A pele está em íntima relação com os músculos e fica claro que pessoas que realizam atividade física frequente, no mínimo três vezes por semana tendem a ter menor flacidez corporal.

Levando em consideração as causas da flacidez citadas acima podemos perceber que a maioria delas podem ser evitadas, podemos moldar nosso corpo com melhores hábitos e atividades no nosso dia a dia. Esta cultura do se cuidar não existia antes, muitos dos que nos leem agora se lembram de que nem protetor solar se usava ha alguns anos, muito pelo contrário, eram passados alguns produtos na pele para que se bronzeasse mais, então para estes nos quais a flacidez já esta instalada deve recorrer a muitos recursos que a medicina dispõe hoje que pode ajudar a reverter este quadro.

Hoje dispomos de tratamentos como o laser não ablativo (que não causa lesão na pele), laser ablativo (CO2 fracionado, Erbium-YAG), ácido hialurônico, ácido poli-lático, gel com ativos principalmente hormonais, radiofrequência e muitas outras tecnologias. Deve-se lembrar que cremes não tratam flacidez, não tem absorção para tanta efetividade e géis hormonais tem ação mas esta é em todo corpo, melhorando também a pele.

Quando se tem tantos tratamentos para uma só condição clínica é porque nenhum deles é extremamente eficaz, o que surte algum resultado é a combinação deles, e para isso é necessária a ajuda do seu cirurgião plástico ou dermatologista, que de acordo com cada caso determinará a melhor associação.

Quando a flacidez chega a níveis mais extremos são recomendadas cirurgias plásticas para a melhora estética da região, até mesmo métodos de lipoaspiração superficiais associados ou não a laser que causam uma retração interessante da pele diminuindo a flacidez em graus variáveis.

Recente estudo concluído por nosso grupo de pesquisadores na Faculdade de Medicina São Leopoldo Mandic, aliás este estudo ganhou primeiro lugar no III SEMIC, verificou que o ácido hialurônico quando aplicado na derme de camundongos, sob técnica específica, foi superior a outros produtos no que se refere ao estímulo à produção de colágeno do tipo 1, então provavelmente novidades vem por aí, a pesquisa caminha a passos largos nesta área.

Com o senário atual é bom deixar claro que não existe milagre, uma vez instalado o quadro de flacidez este é de difícil tratamento e a melhor forma de lidar ela, e isso serve para a nova geração, é a prevenção.